sábado, 9 de agosto de 2014

Hiato...

Com gosto de saudades,                                        E sei do quanto sofreu,
Pois se já não importam as vontades,                      Se esse grandioso e ínfimo silêncio- é adeus.
Se, no final, nada valeu a pena                                De saudades, chegadas e tantas partidas.
Perdemos entristecidos essa parte pequena            Mais enfrentamos a distância, por nossas vidas!
Desse amontoado de circunstâncias e momentos     Que, não foram muitos e nem por pouco...
Guardaremos com carinho, assombros e contentos  Esse amor insepulto, num vento leve e louco ...
Para que possamos seguir em frente sem temer:      E amando sem medo de machucar um ou outro...
                                                                  - Silêncio -                                                                  

Adeus...