segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Conversa imaginada das coisas que penso mas não digo.

Caminho como quem busca em ti algo que perdeu,
Pois só das alegrias que quis ter, essas nunca foram minhas.

Justamente.

O coração que te dei, vive como oque morreu
Pelas saudades, que já são tantas - E advinhas...

Eu te amo sinceramente.

Mas te amo, e mesmo que você não quisesse,
Te amaria! E sou feliz, sim, você me quer!

E entristecido, mas felizmente

Te fiz minha, menininha, e se soubesse
Como sussurro o teu nome, te faria dizer:

" Eu também te amo"?

Esse meu coração que é teu
Bate como um coração fantasma

Sente?

Tão pertinho do seu.
Podem dois seres terem a mesma alma?

Não sei.

Mas se pudesse,
Com certeza, amor, nós teríamos.











Nenhum comentário: