segunda-feira, 9 de julho de 2012

Deserto




Estou para além de mim mesmo...
Perdido.

Troco cada dia
Por um centímetro de deserto.

Queria tragar a vida toda, em uma fumaça relaxante,
Respirando como se fosse cura o veneno que me consome.
Ir como a fumaça nua, ir para bem longe.
Acreditando que sonho - morrer dormindo.
Entre o tédio e o sofrimento, prefiro a apatia do cigarro,
Ou uma noite sem estrelas. É... Mais uma noite sem você.
Suspiro, os ossos como o de um cadáver,
Buscando estrelas na sola dos meus sapatos...
E ver algo vivo nos olhos de outro,
E Vida na beleza das músicas que ouço.
Cavar um pouquinho, desse deserto que já é tanto, 

Tão desesperado quanto as palavras me fazem parecer.
Sem nada para encontrar, nesse areal de coisa alguma.