segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Sing me a rainbow, steal me a dream

Enquanto roubo as estrelas do céu,
Vou cantando
Frases aleatórias de canções de ninar.
Amor, vou escondendo
No fundo dos teu olhos abertos o luar
Sepultando constelações no teu mausoléu
Povoando um sepulcro de escuridão
E as estrelas nuamente levadas
Arrumadas uma à uma por constelação.
O céu, abódoda de luzes caladas,
Tornou-se o cúmulo do estadio.
Enquanto os teus olhos são fechados
Afogam vozes e espectros indistintos conhecem o frio
É o que resta, momentos perdidos, sonhos versados.

E sono eterno, arco-íris cantado e sonhos roubados.

Nenhum comentário: