quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Palavras para serem ditas


As palavras que guardo,
Palavras que não digo
São as que não quero
E mais preciso...

Palavras: Que resumem dores,
Dignificam as faltas,
Dando nomes as flores,
Para as mais doces efialtas.

Das palavras que não tenho
Faço um mundo que te dou,
E com a mente retenho
Todo um milésimo de segundo que passou.

As minhas palavras vão contigo
Enlendando os teus sonhos.
Em carícias e amor te contradigo,
Com malinação e desejos medonhos.

O que nos salva, de forma abstrata,
É a mesma distância que nos mata.

-Contradição é precisar e não me querer

Tentar esquecer sem poder.

Penso em ti,
Amo-te com todas as letras e palavras,
E é para o teu olhar que perco a fala
Mas que acho nas palavras mais rasas
Os significados mais profundos.

Assim: Palavras que não digo
Fazem sonhos doce de efialtas,
Dando nome aos perfumes
Deste Mundo que te dou.

Nenhum comentário: