quinta-feira, 15 de abril de 2010

Nada dissolver a ironia de poder te ver


Veja como o céu amanheceu vermelho,
As cores que hoje tornaram todas as tuas circunstâncias únicas.
Escorreram das minhas veias, elas que tingem o teu amanhecer de rubro morto
São tuas... E as minhas faltas? As nossas falhas...

"O chão não vai cair e a distância não vai nos quebrar"
"Os meus lábios estão salgados de saudades..."

" Enquanto houver alegria nos sapatos que ela pisar, Fim da manhã, nem sei se é dia, já nem penso depois."

-Pois são todas as minhas dores que chovem,


-O ardor que das palavras escorrem


-Em prantos o que o meu coração contém.


Nenhum comentário: