terça-feira, 6 de abril de 2010

Como fosse um lar, o seu corpo a valsa triste iluminava o seu corpo assim...


Engraçado... recomendo uma música: Bandolins- Oswaldo Montenegro.

O meu pensamento é assim, sempre corrido... Costumo pensar milhares de coisas ao mesmo tempo...

“ Quando chove e venta, daquelas chuvas barulhentas que batem nas janelas e puxam as telhas, como se tentassem afastar os edifícios, eu penso... Como é engraçado ser capaz de fragmentar o própio pensamento, ser capaz de deixar a mente correr solta e tomar uma vizualisação tridimensional da minha sensação como uma decomposição abstrata da própia mentalidade... A minha mente já está fragmentada, gosto de tentar achar significados epistemológicos misteriosos como um filologista desmesurado brincando com o passado das palavras apenas para passar o presente tempo ao futuro passado.”

... E retorno ao mundo, parece que apaguei por um segundo, tenho medo de um dia elevar-me ao radical do pensamento e que à lá Teoria da Relatividade perceber que fique longe por apenas por alguns aparentes 10 segundos e retornar 10 anos depois a tempo de encontrar-me velho, pois costumo pensar muitas milhares de coisas a anos luz do corpo ao mesmo tempo; sobre o tempo, do tempo.

O meu Ego é apenas um manojo de percepções variadas, uma relação de idéias que possuem significados e significantes apenas n’uma outra relação tensa de elementos sutiz ou mais substanciais, contidos enquanto linguagem e mutáveis de acordo com a minha historicidade. Certamente, mui engraçado, chame este Momentum de Insanidade Lúcida. E será que o meu Ego fazer-se-ia pó na tênue e finada Via Láctea? -Toque Bethoven, a Marcha Fúnebre!- Ainda tens tempo para retornar, fique mais um pouco, Lua, não precisas amanhecer o dia, deixe o sol dormir mais um pouquinho.”

...Retorno à tempo de perceber que as minhas mãos estão fracas e que estou velho... Morri e morro muitas vezes, há tanto tempo... Toda escolha que fazes é para sempre. Quando o céu do meu olhar troveja, também chove...Ai de mim! oh, tempo.


Um comentário:

Haroldo disse...

Cara, eu estou com a impressão de que todo esse texto eu posso decorar e recitar pro meu professor quando ele questionar se eu estava prestando atenção no que ele disse,é ou não é? xDD
Fora isso, eu ainda me pergunto como vc consegue questionar a existência do puro ócio tão bem =O