quinta-feira, 4 de março de 2010

Uma antiga poesia sem título

Chorar-te-ão!

À luz da lua- o reflexo da tua alma,

Escondendo- se atras da tormenta, a calma...

Pois tudo termina, pelo sim- pelo não.

Findar-te-ão!

Toda em música, funebre valsa.

Futuro, o teu passo trassa

E finde td em vão.

Luz alguma- derrepente um clarão!

É a Dança galactea- vide do olofote, tda iluminada,

Fulgor de sonho, onirica e dourada.

História esta ke amarão.

Fulgidia então!

Mais ardente,não há

Ardor de sangue - flui,vá e vá.

Corrente vermelha, kente coração.

Paixão de poetas, poetas&paixão!

Artifice das palavras, um acecla.

Puro, o sentimento o texto completa

Para que Td caia, enfim, do céu ao chão!

2 comentários:

NewS disse...

sabe.. quando se le alguma poesia tua.. se tem uma impressao.. sa segunda leitura.. rs.. você acaba descobrindo algo que jurava que nao estava ali.. a cada leitura.. vc escuta algo novo.. é como.. reeler um livro.. e.. é linda..

Noemi disse...

concordo coma senhorita "News"...;D